O Município

Dados do município.

Dados do município/localização

Fundação: 19/05/1964
Emancipação Política: 19 DE MAIO DE 1964
Gentílico: MOREILANDENSE
Unidade Federatíva: PERNAMBUCO
Mesoregião: SERTÃO PERNAMBUCAN
Microregião: ARARIPINA
Distância para a capital: 516,00

Dados de características geográficas

Área: 637.599,00
População estimada: 11270
Densidade: 17,70
Altitude: 502
Clima: SEMI-ÁRIDO (BSHW)
Fuso Horário: UTC-3
Durante a grande seca de 1877, vários agricultores do Ceará deixaram suas terras em busca de locais onde houvesse água para consumo humano e dessedentação animal. Foi o caso de Claudiano Alves Moreira, que veio de Iguatu, no Ceará, com sua família e rebanho. Dirigia-se provavelmente ao vale do Rio São Francisco. Entretanto, ao atravessar o sertão pernambucano, encontrou uma região desocupada, pertencente à paróquia de Granito (Pernambuco), onde as terras eram férteis. Ao cruzar um riacho, observou poços d'água, o que o fez supor a existência de água subterrânea acessível, o que foi confirmado. Estabeleceram-se no local e foram seus primeiros habitantes. Cultivaram um sítio de frutíferas, que se desenvolveu bem. Logo o local passou a ser chamado Sítio dos Moreira.
No século passado, na época da grande seca de 1877, sofrendo com a falta de alimento e principalmente água, muitos agricultores deixaram seus estabelecimentos a procura de locais onde existisse pelo menos água abundante para a população e animais. Uma dessas vítimas da seca foi o agricultor Claudiano Alves Moreira, que partiu de Iguatu, no Ceara, trazendo consigo sua esposa Ana Alves Moreira e as filhas Isabel, Maria, Porfíria e Antonia, bem como os poucos animais que sobreviveram ao flagelo da seca.
Sendo a falta de água o mais cruciante, supõe-se que o Sr. Claudiano buscava a margem do Rio São Francisco, onde a água é abundante, porém na viagem passou em terrenos férteis e desocupados, pertencentes a Paróquia de Granito, onde uma fato lhe chamou atenção, pois em plena estiagem, ao cruzar um riacho, viu poços d’água no mesmo, logo deduziu que cavando uma cacimba encontraria água bastante, o que realmente aconteceu, fixarem-se na terra, sendo seus primeiros habitantes.
Com a água encontrada, procurou se estabelecer fazendo casa e cercado, logo que voltou a chover iniciou o plantio do roçado e em um local mais fértil, iniciou um pequeno sítio de fruteiras, que desenvolveu bem, dando um bom aspecto ao local o chamado a atenção dos transeuntes, que passaram a denominar o local de Sítio dos Moreiras, devido a plantação construir um sítio e pertencer a familia Moreira, nome que perdurou, tornando-se no nome futura cidade.
Sendo uma região excelente para atividades agro-pecuária, foi atraindo novas familias e, como o sertanejo tem uma grande devoção religiosa, o Sr. José Alves Lopes idealizou a construção de uma igreja, tendo como padroeira Santa Terezinha, o que se concretizou. E em 1930 era celebrada a 1º missa pelo vigário Joaquim Peixoto Alencar.
Construída a igreja, a povoação foi crescendo e em 1935 realizava-se sua primeira feira livre, a qual tem lugar às 6º feiras, sendo uma das bastantes freqüentadas da região.
O devassamento regional, ocorreu em face das atividades agro-pecuária e religiosa, pois com a criação do gado e a comercialização da produção veio o conhecimento da região, completamente pela proporção da religião catolica.
Fonte
IBGE

Sem informações até o momento

Distrito criado com a denominação de Sítio dos Moreiras, ex-povoado pela lei municipal nº 62, de 10-05-1957, desmembrado de Carimirim, subordinado ao município de Serrita. Em divisão territorial datada I-VII-1960, o distrito de Sítio dos Moreiras, figura de Serrita.
Elevado à categoria de município com a denominação de Sítio dos Moreiras. Pela lei estadual nº 4965, de 20-12-1963, desmembrado de Serrita. Sede no antigo distrito de Sítios dos Moreiras. Constituído de 2 distritos: Sítios dos Moreiras e Carimirim. Desmembrado de Serrita. Instalado em 19-05-1964.
Em divisão territorial datada de 31-XII-1968, o muncípio é constituído de 2 distritos: Sítio dos Moreiras e Caramirim.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 17-I-1991.
Pela lei municipal nº 85, de 22-06-1991, aprovado pela sessão extraordinária, realizada em 03-06-1991, o município de Sítios dos Moreira passou a denominiar-se Moreilândia.
Em divisão territorial datada de I-VI-1995, o município já denominado Moreilândia é constituído de 2 distritos: Moreilândia e Carimirim. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2005.

Alteração toponímica municipal
Sítios dos Moreiras para Moreilândia alterado, pela lei municipal nº 85, de 22-06-1991, aprovado em 03-06-1991.

Fonte
IBGE
O município de Moreilândia encontra-se inserido na unidade geoambiental dos Maciços e Serras Baixas, caracterizada por altitudes entre 300 a 800 metros. Uma porção de sua área está inserida na unidade geoambiental das Chapadas Altas.
A vegetação nativa é composta por floresta subperenifólia.

O município está inserido nos domínios da Bacia Hidrográfica do Rio Brígida. Tem como principais tributários os riachos: da Carnaúba ou Carrancudo, do Diego Luna, da Palha, das Lajinhas, do João Bento, Domiciano, Canta Galo, do Cariri Mirim, Novo, Genipapo, do Neco, Cachoeiro, da Ingazeira, dos Cavalos e do Boi, todos de regime intermitente. Possui ainda água acumulada nas lagoas do Catol e Nova

NOTÍCIAS

#Administração | 15 DE OUTUBRO DE 2021

Muito obrigado, professores moreilandenses por dedicar a vida a nobre arte de ensinar.

#Administração | 07 DE OUTUBRO DE 2021

Mês de Prevenção ao câncer de mama.

#Educação | 07 DE OUTUBRO DE 2021

Aos poucos iremos retomando as aulas presencial, seguindo todos os cuidados necessários.

#Administração | 07 DE OUTUBRO DE 2021

Mês de Prevenção ao câncer de mama.

#AssistênciaSocial | 07 DE OUTUBRO DE 2021

Informamos a toda população, em especial aos idosos, que a carteirinha do idoso já está sendo emitida.

Qual o seu nível de satisfação com essa página?


Muito insatisfeito

Um pouco insatisfeito

Neutro

Um pouco satisfeito

Muito satisfeito