SECRETARIA  Aparecida Cordeiro Alves – Secretária

Nasceu em  22 de Abril de 1981,  na cidade de São Paulo, filha de Ivone Petronilo Cordeiro, e Raimundo  Candido Cordeiro, é mãe de uma filha, formou se em historia  na Urca, cidade de Crato-PE, pós graduada em Política publicas, tem o curso Técnico de Enfermagem, Secretária de  Saúde pela segunda vez na cidade de Moreilândia-PE.

O Município possui 06 Unidade Básica de Saúde,

  1. ESF SANTA TERESINHA.
  2. ESF SANTA LUZIA.
  3. ESF PEDRO TAVEIRA DOS SANTOS - SITIO DE BAIXO.
  4. ESF JOSE QUEIROZ PARENTE - CASAS POPULARES.
  5. ESF SANTO EXPEDITO - CANTA GALO.
  6. ESF JOSÉ CICERO DE MELO - SERRA DOS COCHOS.

Coordenadores da Atenção Básica:

Enf. Érica Alexandre Galvão

Programas:

Atenção Básica

- NASF- Núcleo de apoio a saúde da família ( fisioterapeuta, psicóloga, Educador físico, assistente social)
- PSE- Programas de saúde na escola.
- Programa de Saúde da mulher
- Programa tabagismo.
 - Saúde do Idoso.
- Saúde do homem
- Saúde da criança e do adolescente
- Saúde Bucal
-Programa de Imunização

-Mais Medico para o Brasil

Policlínica João Alves Branco
-Fisioterapeuta, Fonoaudióloga, Ortopedista, psicóloga, dermatologista, pediatra, USG.

Farmácia central – Localizada na Policlínica João Alves Branco

Farmacêutica : Luciana Alexandre da Silva

 Hospital Municipal Santa Terezinha

Diretor: Auberto  Bezerra de Oliveira  

- Laboratório de Analises Clinica;

- Clinica Médica;

- Teste do Pezinho.

Secretaria Municipal de Saúde

-Referencia de consultas especializadas: UPAE- Ouricuri / Petrolina/  Araripina/  Recife.

Coordenadora da Regulação : Tatiana  Leal de Oliveira

Vigilância em Saúde

Coordenadora da vigilância em Saúde: Joseli Freitas de Miranda

- Vigilância Sanitária : Coordenador:  Valdessi Alves
- Vigilância Epidemiológica
- Vigilância Ambiental

-Agentes de endemias

 

A Secretaria de Saúde, fica situada na rua 15 de Novembro, Centro. Horário de funcionamento de 08:00 às 14:00 h, segunda a sexta, telefone: 3891-1140

Conheça as equipes dos ESF's nesse link Equipe ESF´S

 

Horário de funcionamento das unidades de Saúde da Família:

ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA  PEDRO TAVEIRA DOS SANTOS- SITIO DE  BAIXO

8h às 16h

ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA SANTA LUZIA- CARIRIMIRIM

8h às 16h

ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA  SANTO EXPEDITO- CANTA GALO

8h às 16h

ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA  JOSE CICERO DE MELO- SERRA DOS COCHOS

8h às 16h

ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA  JOSE QUEIROZ PARENTE- CASAS POPULARES

8h às 12h

13h às 17h

ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA  SANTA TEREZINHA-  CENTRO

8h às 12h

13h às 17h

 

 
PROGRAMAS : 
 

SAUDE DA MULHER:

mulher

As mulheres são a maioria da população brasileira (50,77%) e as principais usuárias do Sistema Único de Saúde (SUS). Freqüentam os serviços de saúde para o seu próprio atendimento mas, sobretudo, acompanhando crianças e outros familiares, pessoas idosas, com deficiência, vizinhos, amigos. São também cuidadoras, não só das crianças ou outros membros da família, mas também de pessoas da vizinhança e da comunidade. A situação de saúde envolve diversos aspectos da vida, como a relação com o meio ambiente, o lazer, a alimentação e as condições de trabalho, moradia e renda. No caso das mulheres, os problemas são agravados pela discriminação nas relações de trabalho e a sobrecarga com as responsabilidades com o trabalho doméstico. Outras variáveis como raça, etnia e situação de pobreza realçam ainda mais as desigualdades. As mulheres vivem mais do que os homens, porém adoecem mais freqüentemente. A vulnerabilidade feminina frente a certas doenças e causas de morte está mais relacionada com a situação de discriminação na sociedade do que com fatores biológicos. Os indicadores epidemiológicos do Brasil mostram uma realidade na qual convivem doenças dos países desenvolvidos (cardiovasculares e crônico-degenerativas) com aquelas típicas do mundo subdesenvolvido (mortalidade materna e desnutrição). Os padrões de morbimortalidade encontrados nas mulheres revelam também essa mistura de doenças, que seguem as diferenças de desenvolvimento regional e de classe social. Dentro da perspectiva de buscar compreender essa imbricação de fatores que condicionam o padrão de saúde da mulher, este documento analisa, sob o enfoque de gênero, os dados epidemiológicos extraídos dos sistemas de informação do Ministério da Saúde e de documentos elaborados por instituições e pessoas que trabalham com esse tema. 10 Propõe diretrizes para a humanização e a qualidade do atendimento, questões ainda pendentes na atenção à saúde das mulheres. Programas de saúde da mulher:

  • Acompanhamento no Pré-natal ao pueperio
  • Planejamento família
  • DST/HIV/Aids
  • Violência Doméstica e Sexual
 

SAUDE DA CRIANÇA

crianca

As ações de promoção à saúde, prevenção de agravos e de assistência à criança pressupõem o compromisso de prover qualidade de vida para que a criança possa crescer e desenvolver todo o seu potencial.programas de Saúde da Criança:

  • Incentivo e Qualificação do Acompanhamento do Crescimento e Desenvolvimento
  • Atenção à Saúde do Recém-Nascido
  • Promoção, Proteção e Apoio ao Aleitamento Materno
  • Prevenção de Violências e Promoção da Cultura de Paz
  • Vigilância à Mortalidade Infantil e Fetal
  • Calendário de vacinação ( imunização)
 

SAÚDE DO ADOLESCENTE

adolecente

O Programa "Saúde do Adolescente" deverá ser executado dentro do princípio da integralidade das ações de saúde, da necessária multidisciplinariedade no trato dessas questões e na integração intersetorial e interinstitucional dos órgãos envolvidos, respeitando-se as diretrizes do Sistema Único de Saúde (SUS) apontadas na Constituição Brasileira. As ações básicas propostas pelo PROSAD fundamentam-se numa política de promoção de saúde, identificação de grupos de risco, detecção precoce dos agravos, tratamento adequado e reabilitação. Deverá planejar e desenvolver práticas educativas e participativas que permeiem todas as ações dirigidas aos adolescentes, assegurando apropriação por parte destes de conhecimentos necessários a um maior controle de sua saúde: Cumpre assinalar a grande importância do acompanhamento do crescimento e desenvolvimento em relação à participação dos pais, família, educadores e comunidade em geral. Assim, toda ação educativa deve perseguir esse objetivo, possibilitando a apropriação, pelo usuário, de conhecimentos sobre as condições de saúde de seu adolescente e sobre os cuidados a ele dirigidos.

  • SEXUALIDADE
  • SAÚDE BUCAL
  • SAÚDE REPRODUTIVA
  • SAÚDE DO ESCOLAR ADOLESCENTE
  • PREVENÇÃO DE ACIDENTES
  • VIOLÊNCIA E MAUS TRATOS
  • FAMÍLIA
 

SAUDE DO IDOSO:

idoso

Em relação à promoção da saúde da população idosa as implementações de ações locais deverão ser norteadas pelas estratégias de implementação, contempladas na Política Nacional de Promoção da Saúde – Portaria 687/GM, de 30 de março de 2006, tendo como prioridades as seguintes ações específicas:

  • Divulgação e implementação da Política Nacional de Promoção da Saúde (PNPS);
  • Alimentação saudável;
  • Prática corporal/atividade física;
  • Prevenção e controle do tabagismo;
  • Redução da morbi-mortalidade em decorrência do uso abusivo de álcool e outras drogas;
  • Redução da morbi-mortalidade por acidentes de trânsito;
  • Prevenção da violência e estímulo à cultura de paz;
  • Promoção do desenvolvimento sustentável.

 SAUDE BUCAL

bucal

A Saúde Bucal na estratégia Saúde da Família representa a possibilidade de criar um espaço de práticas e relações a serem construídas para a reorientação do processo de trabalho e para a própria atuação da saúde bucal no âmbito dos serviços de saúde. Dessa forma, o cuidado em saúde bucal passa a exigir a conformação de uma equipe de trabalho que se relacione com usuários e que participe da gestão dos serviços para dar resposta às demandas da população e ampliar o acesso às ações e serviços de promoção, prevenção e recuperação da saúde bucal, por meio de medidas de caráter coletivo e mediante o estabelecimento de vínculo territorial.

O processo de trabalho das ESF fundamenta-se nos princípios da universalidade, eqüidade, integralidade da atenção, trabalho em equipe e interdisciplinar, foco de atuação centrado no território-família-comunidade, humanização da atenção, responsabilização e vínculo.

  • Ações das Equipes de Saúde Bucal na Estratégia Saúde da Família:
  • Ações de promoção e proteção de saúde;
  • Ações de recuperação;
  • Prevenção e controle de câncer bucal;
  • Incremento da resolução da urgência;
  • Inclusão de procedimentos mais complexos na Atenção Básica;
  • Inclusão da reabilitação protética na Atenção Básica.

PROGRAMA  NACIONAL DE CONROLE DE TABAGISMO

O Programa tem como objetivo reduzir a prevalência de fumantes e a consequente morbimortalidade relacionada ao consumo de derivados do tabaco. Seguindo um modelo no qual ações educativas, de comunicação, de atenção à saúde, associadas às medidas legislativas e econômicas, se potencializam para prevenir a iniciação do tabagismo; promover a cessação de fumar e proteger a população da exposição à fumaça ambiental do tabaco. Os medicamentos são disponibilizados pelo Ministério da Saúde para o tratamento do tabagismo na Rede do SUS totalmente de graça.

 PROGRAMA DE SAÚDE NA ESCOLA

escola

O Programa Saúde na Escola (PSE), política intersetorial da Saúde e da Educação, foi instituído em 2007. As políticas de saúde e educação voltadas às crianças, adolescentes, jovens e adultos da educação pública brasileira se unem para promover saúde e educação integral. 
A articulação intersetorial das redes públicas de saúde e de educação e das demais redes sociais para o desenvolvimento das ações do PSE implica mais do que ofertas de serviços num mesmo território, pois deve propiciar a sustentabilidade das ações a partir da conformação de redes de corresponsabilidade. A articulação entre Escola e Rede Básica de Saúde é à base do Programa Saúde na Escola. O PSE é uma estratégia de integração da saúde e educação para o desenvolvimento da cidadania e da qualificação das políticas públicas brasileiras. Sua sustentabilidade e qualidade dependem de todos nós!

NÚCLEO DE APOIO A SAÚDE DA FAMÍLIA

NASF

O NASF é uma equipe composta por profissionais de diferentes áreas de conhecimento, que devem atuar de maneira integrada e apoiando os profissionais das Equipes Saúde da Família, das Equipes de Atenção Básica para populações específicas, compartilhando as práticas e saberes em saúde nos territórios sob responsabilidade destas equipes. 

Criado com o objetivo de ampliar a abrangência e o escopo das ações da atenção básica, bem como sua resolubilidade, o NASF deve buscar contribuir para a integralidade do cuidado aos usuários do SUS, principalmente por intermédio da ampliação da clínica, auxiliando no aumento da capacidade de análise e de intervenção sobre problemas e necessidades de saúde, tanto em termos clínicos quanto sanitários e ambientais dentro dos territórios.

A equipe está composta por:

Psicólogo.

Educador físico.

Assistente social.

Fisioterapeuta.

PROGRAMA DE COMBATE AO AEDES AEGYPTI
PROGRAMA MAIS MÉDICOS PARA O BRASIL
CAMPANHA DE HANSENIASE E GEOHELMINTIASE